3 Dicas para gerar economia tributária

De acordo com os dados levantados pela OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) e publicados na Revenue Statistics in Latin American and the Caribbean 2015, o Brasil é o campeão em carga tributária na América Latina, e, por isso mesmo, um dos países que mais buscam formas legais de obter uma economia tributária.

Os impostos cobrados no país, segundo o estudo, equivalem a nada menos que um terço do PIB brasileiro, e dos lucros obtidos pelas empresas, 35% são pulverizados pelo pagamento de obrigações como IRPJ, PIS, CSLL, COFINS, ICMS, ISS, entre outros tributos, federais, estaduais e municipais.

A solução para minimizar os impactos negativos dessa alta carga tributária, segundo especialistas, é o planejamento tributário, por meio da redução legal dos valores pagos.

Segue, portanto, uma lista com três dicas de como conseguir essa tão sonhada economia tributária. São dicas simples e que podem fazer parte do dia a dia de qualquer empresa.

1. Escolha o regime fiscal corretamente

Basicamente, existem três regimes de tributação fiscal para as empresas: Simples Nacional, Lucro Real e Lucro Presumido.

Recomendamos que anualmente seja feito um comparativo entre os regimes de tributação com o objetivo de escolher o mais vantajoso para a empresa. Deve-se utilizar informações da contabilidade dos anos anteriores e do orçamento projetado para o próximo ano.

2. Cadastro de produtos e serviços

Mantenha atualizado e revisado o cadastro de produtos e serviços, evitando o recolhimento de tributos de forma incorreta. Esse tema é muito importante e complexo, uma vez que existem muitas regras tributárias no Brasil e, inclusive, cada estado e município têm as suas.

3. Terceirização

Desde o dia 22 de março de 2017 está em vigor a lei que autoriza as empresas a terceirizarem a mão de obra em todos os setores da organização.

De acordo com especialistas, a economia com rescisões contratuais e encargos trabalhistas, além de uma espécie de compartilhamento de tributos entre contratante e pessoa terceirizada, são algumas das principais vantagens tributárias desse regime, assim como economia em gestão dos recursos humanos, treinamento e desenvolvimento, e minimização de riscos.

Os gestores devem sempre avaliar em todos processos os benefícios da terceirização e compará-los com o regime CLT, escolhendo o que fizer mais sentido para a empresa.

Essas foram as nossas dicas de como conseguir uma boa economia com tributos. Caso queira fazer alguma observação, deixe seu comentário.

Além disso, continue seguindo as publicações do nosso blog para saber ainda mais sobre o tema.

Até a próxima!

Recent Posts